As temidas bolhas

Todo o relato de preparação, vídeo de caminhada ou simples dicas sobre a grande peregrinação à Santiago, ou qualquer outra longa caminhada, vem sempre o assunto das temidas, e na minha opinião quase inevitáveis, bolhas nos pés.
Essas bolhas aparecem por alguns fatores e podem ser tratadas quase sempre dá mesma forma. Depois de tudo que li, ouvi e vi, acho que consigo escrever este post com algumas dicas de prevenção e tratamento das bolhas mesmo sem ter nenhuma até o momento… claro que já tive muita bolha, sim, mas não especificamente durante minhas caminhadas de 10km/12km que tenho feito de tempos pra cá como forma de me manter em movimento.

Uma bolha mal cuidada pode até mesmo interromper a sua caminhada, isso é fato que já li em relatos e que me preocupa quanto aos cuidados de tratar, mas na verdade tenho que me preocupar é em não ter as bolhas não é verdade? Então vamos lá para algumas dicas de prevenção em primeiro lugar.

Começando de dentro para fora, uma dica extremamente importante é o uso da vaselina, antes de começar o seu dia de caminhada, massageie os pés com vaselina de forma a deixar uma camada bem espalhada e uniforme, isso ajudará a reduzir o atrito entre a pele e a meia e também o atrito natural de um dedo no outro.
Logo depois vamos para a segunda camada, as meias, vi que muitos, muitos mesmo, utilizam dois pares de meias, uma meia fina sem costuras e bem justa no pé e logo por cima uma meia mais grossa, de lã, Coolmax ou coisas assim, que irá manter o pé protegido do atrito com a bota e também do frio é claro.
Por último o calçado, esse é ideal que tenha um número maior que o seu pé, até porque o pé durante a caminhada deve inchar e precisa ter espaço, além disso é bom conseguir mexer os dedos com uma certa folga, enfim, o velho papo que o calçado precisa estar bem amaciado e sem nada incomodando a pele, uma costura mais saliente já é o suficiente para detonar o local e plantar uma grande bolha para lhe acompanhar caminho à fora! Cuidado também na amarração, não muito folgada nem muito apertada.
É bom também o uso de perneiras/polainas(post sobre elas) para não deixar a chuva entrar pelo cano da bota, utilizar calçado com membrana a prova dágua e respirável(post sobre calçado), não caminhar com os pés molhados, não tomar banho antes da caminhada, a pele vai ficar macia e certamente machucará com facilidade. Ao final de cada dia, deixe os pés respirarem usando chinelo ou sandália, coloque eles para o alto quando parar, ajuda circular o sangue.
Particularmente tenho um grande medo do assunto pés úmidos, tenho um suor muito grande nas extremidades e isso pode me prejudicar, mas vou seguir todas as informações e rezar para que tudo dê certo e que se é para ter bolhas, que sejam mínimas.

Agora se tiver bolhas, se elas aparecerem, o que fazer?

Neste caso o primeiro a fazer é parar, então identificar o local que está machucando e solucionar o problema, depois é limpar bem a região com água oxigenada ou álcool iodado, se for uma bolha pequena, colocar o famoso curativo dos peregrinos, o Compeed, ele é como o nosso esparadrapo, porém além de proteger o local, ele acelera a regeneração do tecido, dá pra chamar de segunda pele, pelo que li, não se deve remove-lo, deixa que ele vai se desfazendo durante o processo. Mas se for uma bolha grande com muito líquido, o ideal é desinfetar uma agulha e linha e atravessar a bolha deixando a linha no local, ela servirá como um dreno fazendo o líquido sair. Nunca retira a pele da bolha!
Feito isso, limpe bem o local para não dar nenhum problema maior e deixe assim durante a noite toda, pela manhã, retire a linha e limpe novamente o local, coloque o Compeed e se prepare para a caminhada. Se deixar a linha no local durante a caminhada, pode dar uma dorzinha desnecessária e você acabará compensando com outra parte do pé  ganhando mais uma bolha.
Bolhas que tenham líquido com sangue, pus ou algo que não seja aquele líquido transparente normal, deve ter um cuidado maior, de preferencia busque um médico no local que você estiver, isso pode ficar sério e comprometer sua peregrinação.

Aqui vai bem a máxima: “melhor prevenir que remediar”.
Se você cuidar bem dos pés, eles te levam até o destino, mas se relaxar, eles vão gritar e você também. Como disse no início, na minha opinião as bolhas são inevitáveis, ou quase, mas que dá para reduzir muito a chance de aparecerem, isso dá. Conheço quem fez o Caminho Francês com apenas uma bolha. Sorte? Não… cuidado.
Agora é só seguir a preparação e acostumar os pés a caminhadas mais longas. Valeu pela visita e bom caminho, sem bolhas!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s