O frio pelo Caminho

Olá pessoal, hoje vou tentar passar alguma informação relativa ao Caminho de Santiago no inverno, sei que é pouco habitual que peregrinos se aventurem nessa estação do ano pois as dificuldades e os perigos andam juntas o tempo todo durante grande parte da rota. É desaconselhável, mas informação nunca é demais. Pessoas já morrem nessa época, principalmente na travessia do Pirineus, onde volta e meia fica fechada pelas autoridades, inclusive um brasileiro em Janeiro de 2002 morreu por lá em um dos meses mais congelantes. A coisa é séria!
Eu pretendo fazer a caminhada rumo à Santiago no mês de Outubro, o que no meu ver já é limite para terminar o Caminho no comecinho do inverno espanhol(mais ou menos) e provavelmente com algumas temperaturas bem baixas, para isso tenho pesquisado bastante sobre essa época do ano por lá. Apesar de gostar muito do frio, muito mesmo, fico preocupado com o que pode acontecer.
Como é de costume vou encontrando informações e penso sempre que serão úteis para mais pessoas interessadas no assunto e que passam aqui pelo Caminhando Eu Vou.

Vamos as informações que eu acho pertinentes, lembrando, são baseadas em relatos e teorias, na prática só saberei se serão confirmadas quando de fato estiver por lá.

Período de inverno – O inverno forte compreende os meses de Dezembro à Março, mas tem muito relato de gente pegando neve no final de outubro/novembro onde o frio já bate forte. As temperaturas de inverno nas regiões do Caminho ficam, normalmente, entre 16ºC e -4,5º(pelas fotos que tenho visto, deve ser menos até), mas tem que lembrar também do vento e da umidade do ar, essa dupla faz a sensação térmica ficar baixíssima.
Vejamos um exemplo a grosso modo de como o vento complica a situação:
A cada 7km/h de vento, cai 1ºC de temperatura do nosso corpo. Portanto se estiver 5ºC e o vento 21km/h, a sensação térmica será de 2ºC, isso sem falar na umidade que agrava a situação. Aqui em SC já andei por lugares com -6ºC de temperatura e sensação de -18ºC, é punk!
Outra consequência do período são os horários de luz do dia para se caminhar, os dias amanhecem por volta das 08h45 e escurecem a partir das 17h30. Nem pense em andar a noite, é onde acontecem a maior parte das nevascas e ventos cortantes.

Os albergues – Segundo relatos e dicas de vários peregrinos, inclusive de associações, grande parte dos albergues fecham durante o inverno, os que continuam recebendo peregrinos, alguns não possuem calefação, o que pode ser bem ruim em uma noite congelante. Pense no tipo de saco de dormir que vai usar. É bom ter uma lista de albergues que funcionem no período, já sair de casa com isso em mãos para não ter surpresas desagradáveis. Junto com os albergues, acredito que alguns pontos de alimentação também devem debandar do frio! Será que alguma fonte congela?! Tem que pensar nisso também.

Roupas – Todos sabem e batem forte na tecla de que a mochila precisa ser leve, tem que ser leve, mas se você pretende caminhar no inverno, consequentemente ela irá pesar um pouco mais pois você irá precisar de mais roupas que o habitual, gorros, luvas grossas, meias warm, calças, roupas de baixo extras, casaco térmico, enfim… a lista irá crescer e a mochila vai pesar, cuidado com isso. Outra coisa que pensei, não sei se chegam a usar realmente, são aqueles “grampões” que se colocam na sola da bota para não escorregam, tem uns que são fáceis de colocar e tirar, são como correntes em pneu de carro. Se a neve aumentar, embaixo dela terá uma camada fina de gelo, principalmente em trechos de calçamento ou asfalto, isso escorrega muito e não vai ter bastão ou solado de bota que irá lhe manter em pé, já que tá levando peso, leva um acessório desses pode ser útil.

Sinalização – Não achei muito texto sobre esse ponto, mas pelo que vejo, a neve facilmente pode cobrir os sinais que orientam os peregrinos, as setas amarelas desaparecerão e isso pode ser um problema sério quando estiver em uma trilha ou local menos povoado. O vento e a chuva, aliados ao frio forte, farão você andar com olhar mais baixo, podendo deixar passar as marcações. Vale pensar sobre isso também, tem tudo para ser uma dificuldade extra do período de inverno. Guias e mapas podem ser de grande valia.

Abaixo tem o primeiro vídeo de uma série de 6, onde uns brasileiros fizeram o Caminho Francês no inverno, por opção, e em alguns momentos dá pra ver que os caras passaram perrengues devido a escolha da época. É interessante ouvir a conclusão de um deles em outro vídeo que ele fez “Resumo do Caminho“, onde ele aconselha fazer no inverno, no mínimo interessante.

Enfim, se você tem somente a opção de trilhar no inverno, se prepare para isso, pense bem antes de decidir, lembre que além de tudo ainda tem a chuva, as dores, a solidão, o peso da mochila carregada e etc. Tudo isso precisa ser bem pensado pois problemas como uma hipotermia, por exemplo, são silenciosos e encerram sua caminhada rapidinho!
Mais uma vez, espero que tenham conseguido tirar algum proveito deste post e se você já trilhou o Caminho no inverno, comenta se eu estou com o raciocínio correto por favor. Lembrando que sempre me refiro ao Caminho Francês, sei que existem outras rotas, inclusive opção para a estação como o Caminho de Inverno onde se evitam os pontos críticos de frio, mas sigo firme na minha escolha!

Ahhhhh já ia esquecendo, façam uma busca por fotos do Caminho no inverno, em especial no Cebreiro, que coisa incrível, como fotógrafo… é tentador! Em especial vejam o site de panorâmicas interativas Rotto Digital, incrível o visual do Cebreiro!!!!
Obrigado pela visita e, com frio ou não, bom caminho!

Anúncios

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s